Cyrano de Bergerac

10 January 2015, 21H30

​Cyrano não partilha dos ambientes psicológicos, simbolistas e realistas de Hedda Gabler, Menina Júlia ou de Ivanov, seus contemporâneos. Nem habita as ruas sombrias, românticas ou góticas que iluminaram o século de Edmond Rostand. Mas Cyrano tem um dos narizes mais famosos do mundo e, tal como o do Major Kovaliov de O Nariz de Gogol, ultrapassa largamente a dimensão meramente física. A protuberância grotesca que vive no meio da sua cara é o embaraço do seu amor por Roxanne. Será por meio das palavras que empresta a Cristian, o jovem e belo cadete por quem Roxanne se apaixona, que Cyrano declarará, em alexandrinos, a mais bela, trágica e intemporal declaração de amor.
 
O espetáculo conta com a participação de uma figuração especial, constituída por pessoas que, sendo ou não atores, tendo mais ou menos experiência em palco, têm em comum o amor ao teatro. Para tal, entre 5 e 10 de Janeiro, será realizado um workshop com um grupo de trinta elementos, masculinos e femininos, entre os 18 e os 60 anos, dirigido por Bruno Bravo (encenador do espetáculo) e Sérgio Delgado (músico).
 
texto
Edmond Rostand
tradução
João Paulo Esteves da Silva
encenação
Bruno Bravo
música
Sérgio Delgado
elenco
António Mortágua
Carolina Salles
Eduardo Breda
José Leite
Miguel Sopas
Paulo Pinto
Ricardo Neves-Neves
Sofia Vitória
coprodução
Primeiros Sintomas / Teatro Maria Matos

Share event