BOCA ILHA

30 September 2016, 21H30

O que acontece quando duas palavras se combinam? Ou quando um poema sucede a outro? Ou dois actores se debatem entre si? Em que sítio encontramos o poeta que vive nas palavras que nos legou? Partimos do universo de Natália Correia como quem descreve a sua silhueta para a seguir reclamar uma existência tangível. Intrometemos Alberto Caeiro, Cesariny, Ary dos Santos, Sophia, Mário de Sá Carneiro, e outros para iluminar “O Rosto Que Ninguém Vê”: são diálogos, são confrontos, são confirmações em torno de temas como a identidade, a relação com a morte, a memória de infância, o espaço geográfico e poético da ilha, o activismo político, a vivência da religião e do casamento, o sentimento do outro e de si mesmo como outro… E os dois actores que disputam os seus papéis, num feminino-masculino intranquilo e carente, configuram, por seu lado, esse território teatral cercado pela iminência do esquecimento.
Nuno Nunes
Ideia original | Carolina Bettencourt.
Encenação e espaço cénico | Nuno Nunes
Dramaturgia e interpretação | Carolina Bettencourt, Miguel Curiel
Figurinos | Rita Oliveira
Fotografia original | Carlos Carvalho
Montagem fotográfica para cartaz | Francisco Cajada
Apoio à residência artítica | Teatro O Bando - Palmela
Apoio à criação e apresentação |Walk&Talk (Açores)
Projecto financiado pelo programa: "Põe-te em cena" - Governo Regional dos Açores.
Apoios | Junta de Freguesia do Beato (Lisboa), GTIST - Grupo de Teatro do Instituto Superior Técnico (Lisboa), TUP - Teatro Universitário do Porto, Antena 1 (Açores)
Agradecimentos | António Júlio, Joana Mont' Alverne, Juliana Pinho, Tiago Ribeiro, Mariana Curiel
Duração | 75m (s/ intervalo)

Share event